(H)A-Mar

7 Oct

“Não me deixe entrar nesse mar se não vir junto pra segurar minha mão no repuxo.”

Advertisements

Projeto Deixe-me contar sua história

4 Apr

Novidades!

Criei um formulário, pois acho que algumas pessoas se sentirão mais a vontade de enviar a sua história sem se identificar.

É bem simples e em um clique sua história vem para os meus braços pedindo aconchego poético. Não é lindo?

Então, clica aí. Ou, melhor, copie o link e cole no seu navegador porque ele é bem sentimental:

https://docs.google.com/forms/d/1QvZoOlvAZ9RGmp30sVQg_XVf3y2uCAZ2UJ9JwJ7boZ8/viewform

Projeto Deixe-me contar sua história

1 Apr

Com o intuito de criar e experimentar novas e velhas formas de fazer dramaturgia e desprender-me de alguns moldes de escrita estou me lançando em um novo projeto. Contar histórias. Contar suas histórias. Contar histórias dos outros a partir de um ponto de vista poético. A verdade dos fatos, bem como as identidades dos doadores destas histórias estarão sujeitas apenas à todas as formas de liberdade poética que se façam necessárias. Vou cronizar suas memórias. Contopoetizar aqueles momentos que você não quer esquecer. Dar o final que você acha que deveria ter tido.

Todo mundo ou, pelo menos, muita gente gostaria de ter suas histórias ouvidas por alguém que se importe. Eu me importo. Neste projeto me rendo ao fato de que minha dramaturgia não é nada sem você. Deixo de falar apenas de mim para ouvir @ outr@. Histórias de amor são ridículas. Somos seres ridículos. Se somos é porque amamos. É porque sofremos. É porque sentimos. Todas as histórias enviadas serão contadas. Desafio-me. Qualquer história, desde o primeiro beijo, dores de barriga antes da prova, o dia chato no escritório de merda, as filosofias do chuveiro. Vamos desafiar as habilidades do fazer/escrever poético.

Será um prazer te ouvir. Te ler. Te escrever. Sou toda ouvidos, caneta e papel.

Aceito áudio, vídeo, carta, email, entrevista e, quem sabe, telepatia.

Contato: manufmiranda@gmail.com

Solitude

31 Mar

Para ler ouvindo:  https://www.youtube.com/watch?v=3ciSm0eQat0

A noite é o momento mais lindo de duas almas. O amor contido explode. As carícias, as palavras, o olhar. Tudo alimenta. A frieza se rende ao calor do aconchego. Aquece. Me aquece. Se aquecem. A beleza do vidro embaçado, as gotas de chuva que fazem coro ao bater no vidro. Beleza. Sinfonia. Sintonia. Arrebata. O dia surge. A gente tenta detê-lo. Por favor, permaneça aqui. O dia prenuncia a despedida dos amantes. Por favor, permaneça. Agora que enfrento a escuridão da noite, me entrego à solitude que me enlaça. Lembro das noites passadas ao teu lado. Ao lado dos teus olhos. Sob o toque das tuas mãos. A saudade atravessa a escuridão do quarto e se aconchega ao meu lado, se acomoda debaixo do meu cobertor. O coração aperta. Quero me agarrar em ti até que o ar te falte. Quero te observar dormindo. Meus olhos sucumbem, se entregam, se lavam. Minha garganta engasgada queria poder gritar. Se fecha. Me fecho. É dia. As esperanças se renovam a cada manhã. O amor permanece. Com ele a dor. A maquiagem disfarça o estado natural de olhos ansiosos pela próxima escuridão. A água ferve na chaleira. A chama. Me chama pra realidade. Enquanto engulo um grande gole do meu chá bebo da fonte da memória. Tu com tua caneca. Sempre. Respiro. Me jogo para a luz do dia. Atravesso a cidade. Tento não pensar em nós. Teus olhos me acompanham na letra de cada canção. Todas as músicas falam de amor. Penso. Enfrento um dia de exaustão física. Fisicalizar. Transpor. Exaustão, exaustão, exaustão, exaustão, exaus… Ainda te amo tanto. Exaustão. O dia acaba. A dor amor. Permanece. Permaneço. Cada e todo minuto dessa noite eu não estarei em mim. Atravesso a escuridão com medo. Atravesso porque te amo. Meu medo vencido. Vou te amar na escuridão. Na exaustão. No fim do dia.

O que a minha alma canta

20 Mar

“Eu to com uma vontade danada de te entregar todos os beijos que eu não te dei

E eu to com uma saudade apertada de ir dormir bem cansada e acordar do teu lado pra te dizer que eu te amo, que eu te amo demais.”

(Rubel)

Se escrevo, me descrevo

12 Mar

Não escrevo mais por algum amor, mal ou bem resolvido.Não escrevo pela ânsia de que tu vejas o que sinto porque não consigo falar.Não te escrevo mais. Não te descrevo.Escrevo por mim.Escrevo pela escrita. Pela tentativa de escrever algo que toque alguém.Pela tentativa de ser tocada.Escrevo para tentar me justificar. Mas juro que essa é a última vez que escrevo pra tentar te convencer que não escrevo mais pra ti. Pra tentar me convencer.Escrevo porque convencer não é uma certeza. É um medo disfarçado de coragem.

Ainda te escrevo.

Se eu pudesse me livrar de você sem te perder

26 Aug

“E quero brincar de esconde-esconde e dar minhas roupas para você e dizer que eu gosto dos seus sapatos e sentar nos degraus enquanto você toma banho e massagear seu pescoço e beijar seus pés e segurar a sua mão e sair para jantar e não me importar quando você comer minha comida e encontrar você no Rudy e falar sobre o dia e digitar suas cartas e carregar suas caixas e rir da sua paranóia e te dar fitas que você não vai ouvir e assistir a belos filmes e assistir a filmes horríveis e reclamar do rádio e tirar fotos de você quando você estiver dormindo e levantar para te levar o café e pãezinhos e geléia e ir ao Florent e tomar café à meia-noite e deixar você roubar meus cigarros e nunca achar os fósforos e contar pra você sobre o programa de TV que eu vi na noite passada e te levar ao oculista e não rir das suas piadas e querer você de manhã mas deixar você dormir mais um pouco e beijar suas costas e acariciar sua pele e dizer quanto eu amo seu cabelo seus olhos seus lábios seu pescoço seus peitos sua bunda sua e sentar nos degraus e fumar até seu vizinho chegar em casa e sentar nos degraus e fumar até você chegar em casa e me preocupar quando você estiver atrasada e me surpreender quando você chegar mais cedo e te dar girassóis e ir à sua festa e dançar até não poder mais e me desculpar quando eu estiver errado e ficar feliz quando você me perdoar e olhar suas fotos e querer ter te conhecido desde que você nasceu e ouvir sua voz no meu ouvido e sentir sua pele na minha pele e ficar assustado quando você estiver zangada e um de seus olhos ficar vermelho e o outro azul e seu cabelo cair para a esquerda e seu rosto parecer oriental e dizer para você que você é linda e te abraçar quando você estiver ansiosa e segurar você quando você se machucar e querer você toda vez que eu te cheirar e te ofender quando te tocar e choramingar quando estiver do seu lado e choramingar quando não estiver e babar nos seus seios e cobrir você de noite e sentir frio quando você tirar meu cobertor e calor quando você não tirar e me derreter quando você sorrir e me acabar por completo quando você gargalhar e não entender por que você acha que estou te rejeitando quando eu não estou te rejeitando e pensar como você pôde achar que alguma vez te rejeitei e pensar em quem você é e te aceitar de qualquer jeito e te falar sobre o garoto da floresta encantada que atravessou o oceano porque te amava e escrever poemas para você e pensar por que você não acredita em mim e sentir tão profundamente que eu não ache palavras pra expressar esse sentimento e querer te comprar um gatinho do qual eu teria ciúmes porque ele teria mais atenção do que eu e deixar você ficar na cama quando você tiver que ir e chorar como um bebê quando você finalmente for e me livrar das pontas e te comprar presentes que você não queira e levá-los de volta e pedir para você casar comigo e ouvir você dizer não mais uma vez mas continuar pedindo porque apesar de você achar que eu não estava falando sério eu sempre falei sério desde a primeira vez que te pedi em casamento e vagar pela cidade achando que ela está vazia sem você e querer o que você quer e achar que estou me perdendo mas saber que estou seguro quando estou com você e te contar o que eu tenho de pior e tentar te dar o que eu tenho de melhor porque você não merece nada menos do que isso e responder suas perguntas quando eu preferir não responder e dizer a você a verdade mesmo quando eu realmente não queira e tentar ser honesto porque eu sei que você prefere assim e achar que está tudo acabado mas agüentar por mais dez minutos antes de você me jogar fora de sua vida e esquecer quem eu sou e tentar ficar mais próximo de você porque é lindo aprender a te conhecer e vale a pena o esforço e falar mal alemão com você e falar hebraico pior ainda e fazer amor com você às três da manhã e de alguma forma de alguma forma de alguma forma expressar um pouco deste esmagador embaraçoso interminável excessivo insuportável incondicional envolvente enriquecedor-de-coração ampliador-de-mente progressivo infindável amor que eu sinto por você.”

(“Ânsia”, de Sarah Kane)